quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

roubalheira e batota ao glorioso continuaaaaaaaa

 Mais um roubo total  na Académica - Benfica

roubalheiraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa ....

gatunossssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss

nimguem investiga estes juizes corruptos azuis ,porquê





Não será melhor mudar as leis Vigente do desporto em Portugal!...


 Os CACETEIROS, OS TRAFULHAS,OS CORRUPTOS VIVEM acima das leis em PORTUGAL como a imagem bem DEMONSTRA...


VERGONHOSO !....  VERGONHOSO!......VERGONHOSO!....


obrigado ao  http://www.facebook.com/chamagloriosa


Por karlos
 
                
O BATOTEIRO



 
 
Pedro Proença



 
"Fw: Arbitro SLB-FCP Urgente!!


"No domingo passado eu e a minha namorada fomos às compras no Shopping Dolce Vita. Faltavam poucos minutos para acabar o jogo, FCPorto-Feirense, e decidimos ir embora para não apanhar a confusão dos adeptos a saírem do estádio. Quando íamos em direcção ao meu carro, estacionado junto ao Dragão Caixa, vejo sair do estacionamento subterrâneo do estádio, um BMW, com o Sr Pedro Proença no banco de passageiro da frente. Estranhei esse facto por este arbitro não ser habitante da cidade do Porto, e até comentei que seria engraçado se ele fosse o nomeado para o jogo de sexta-feira. Hoje fiquei sem reacção, quando soube pelo jornal a Bola que este tinha sido o escolhido. A sua aparição no Dragão pode até não ter nada a ver com as nomeações, mas é tudo muito estranho... cheira-me a algo de errado! Obrigado pela atenção."

Seria bom que o próprio Pedro Proença desmentisse o conteúdo deste e-mail, que foi enviado às redacções de alguns jornais por um leitor devidamente identificado.

Caso isto não seja desmentido rapidamente, tomarei o caso por verdadeiro, e, como tal, bastante preocupante.

Ao contrário de muitos, nunca confiei em Pedro Proença, que já afastou (ou tentou afastar) o Benfica da luta pelo título em diversas ocasiões.

Em 2002 (arbitragem inqualificável num Boavista-Benfica, com dois penáltis escamoetados aos encarnados); em 2004 (com um penálti assinalado a simulação grosseira de Silva no Benfica-Sporting); em 2005 (uma das piores arbitragens de que me lembro no futebol português, em Penafiel, na ante-penúltima jornada, com quatro penáltis por assinalar a favor do Benfica); em 2006 (num Benfica-Belenenses, que terminou zero a zero, e em que deixou passar uma grande penalidade evidente cometida sobre Nuno Assis); em 2009 (com o famoso lance entre Yebda e Lisandro); em 2010 (penálti claro por marcar no Benfica-Sp.Braga, por mão de Rodriguez); em 2011 (logo na segunda jornada, mais dois penáltis surripiados ao Benfica, na Choupana); e já esta época, com o penálti assinalado em Braga, a Emerson, quase sempre o árbitro lisboeta foi protagonista, pelas piores razões.

Desde 2002, em 8 jogos decisivos, ou muito importantes, Pedro Proença escamoteou 10 grandes penalidades (!!!!) ao Benfica, assinalando mal, nalguns casos de forma grosseia, 3 penáltis contra o clube de que dizem ser sócio (o que, ou é mentira, ou parece mais uma simples manobra de diversão). Isto contrasta com o facto de nunca, mas mesmo nunca, Proença se ter equivocado em favor do Benfica.

Se tudo isto não justifica uns valentes murros levados no "Colombo", justifica, pelo menos, muita desconfiança, e muita apreensão.

AQUI: http://vedetadabola.blogspot.com/
 
 
Pedro Proença


29 de Fevereiro de 2012


Ricardo Costa escreveu há tempos que o Apito Dourado contribuiu indelevelmente para uma nova era na arbitragem. Sendo tentados a concordar com o ex-Presidente da Comissão Disciplinar da Liga, ressalvamos no entanto que continua a ser insuficiente. Até que se consiga erradicar a ideia que prejudicar uns é proibitivo e outros bem-vindo, a verdade desportiva continuará a ser mera utopia e os árbitros continuarão a ter um papel de relevo que não deveriam ter. Não sendo possível eliminar todos os erros e todas as decisões desajustadas, urge acabar pelo menos com a dualidade de critérios e com a suspeição, até porque existem padrões facilmente identificados de há décadas a esta parte, mas que por muitos não terem a coragem de questionar, resultam em tabus que apenas promovem a continuidade da mediocridade.



Habilmente, Pedro Proença fez-se sócio do Benfica e fruto da boa imprensa que faz por vender que é benfiquista, curiosamente ou nem tanto, beneficia de condições especiais às quais mais nenhum outro tem direito. Por um simples facto, tem um registo em prejuízo dos encarnados que por esta altura já concorre com Guimaros e Calheiros, sendo como tal bem visto por todos menos benfiquistas sem voz. Os mesmos que souberam ouvir o que Marinho Neves ainda recentemente disse numa rede social; «Vocês pensam que o Pedro Proença é benfiquista porque ele é sócio do Benfica mas enganam-se porque ele é o maior anti-benfiquista que anda por aí no futebol...»



É um árbitro que não engana; recorrentemente chamado aos grandes palcos, em 2008/2009 decidiu a Liga no Dragão no Clássico decisivo com um penálti vergonhoso que salvou o FCPorto de uma derrota eminente. Já esta Liga no jogo grande da jornada - SCBraga-Benfica - não só perdoou um penálti aos bracarenses como ainda assinalou um muito duvidoso contra os benfiquistas, o qual se ocorresse ao contrário decerto mereceria juízo díspar. Resta aos benfiquistas pois prepararem-se, até porque a nomeação não é de todo inesperada - Proença havia feito birra na Taça de Portugal (o Nacional que o diga!), logo já se antevia que fosse ressarcido por Vitor Pereira que sempre poderia ter optado por Artur Soares Dias.



E cabe também - de acordo com a nova inovação do Futebol Mundial; os treinadores serem obrigados a analisar árbitros tal é o carácter decisivo dos mesmos - que não se dê azo a mergulhos de Hulk e Cª, que se amarre os braços bem quietinhos atrás das costas em cruzamentos, e que os jogadores encarnados não se deixem irritar logo que Pedro Proença comece a parar o jogo sistematicamente em função das tendências do mesmo e caso esteja muito vivo, condicionando os atletas do Benfica com aquele seu ar paternalista de brilhantina e com admoestações precoces, que os cronistas de serviço se encarregarão de justificar por querer segurar o jogo.



Por muito que se esperneie e se tente deturpar a verdade, assuma-se frontalmente que não existe qualquer outro árbitro que tenha um registo tão positivo em jogos do Benfica. Assim, na linha das aberrações que o futebol luso é pródigo, Proença é compensado com a chamada aos grandes palcos, beneficia de elogios do «grande timoneiro» e um reconhecimento transversal de uma imprensa que já se sabe ao que anda. Marcará aliás presença no Euro-2012, fruto do bom serviço prestado- «Orgulho Nacional...».



Contudo os benfiquistas têm memória; não esquecem a vista grossa do juíz no Bessa num jogo em que Simão Sabrosa foi abalroado dentro da área sem que nada tenha sido assinalado, não esquecem as 4 penalidades não assinaladas em Penafiel em 2005, não esquecem o facto de ter inquinado a Liga 2008/2009 ao assinalar um penálti inexistente a castigar uma hipotética falta de Yebda sobre Lizandro, e entre muitas outras, não esquecerão o que ainda recentemente se passou no Axa, onde um empate caído do céu ajudou a que os danos fossem menores.



Pedro Proença – que de parvo tem pouco – vive a arbitragem de uma forma peculiar, de braço dado com o poder instituído, sócio do Benfica para os mais incautos comerem, e confortavelmente amarrado a paradigmas que fazem do prejuízo do Sport Lisboa e Benfica um mal necessário e o caminho para o sucesso. Infelizmente para nós - e para a verdade desportiva, já ninguém é trucidado por espoliar indecentemente um clube, bem pelo contrário. Como aliás dá para perceber as infelicidades de Hugo Miguel em Coimbra, as quais na sua maioria passaram despercebidas, foram secundarizadas, e assim legitimaram mais uma vez a facilidade com que se pode prejudicar o Sport Lisboa e Benfica. Prova disso é que um jornal que tentam passar como encarnado - A Bola - deu nota positiva ao juíz de Lisboa (5), enquanto que a Bruno Paixão no célebre Gil Vicente-FCPorto, deram... 2. Como diriam alguns jornalistas, comentadores, e experts do ramo, foram dois penalties duvidosos ou ainda que nem a TV esclareceu. Mas a melhor definição claramente candidata ao ‘Prémio Embuste do Ano’ foi a de que Pablo Aimar tinha parado repentinamente à espera de ser abalroado. Só não percebemos foi a razão porque o juiz Miguel marcou falta... Obstrução? Deve ter sido isso...



Numa perspectiva mais positiva, os benfiquistas sabem porém as sinergias que envolvem o futebol português, e cada vez mais vão sendo capazes de denunciar episódios que pouco têm a ver com desportivismo e se resumem única e exclusivamente a clubismo doentio, promiscuidades, e jogo sujo. Apesar de muitas vezes ficarmos aquém do ruído oriundo das hábeis convergências em tom azul-esverdeado dos experts televisivos e dos jornais, dos direitos reclamados pela Sportinvest, SA no Youtube, e de todo esse rol de escumalha que faz todos os possíveis para contar uma história diferente do que acontece na realidade, sabemos de antemão que o Benfica tem de se transcender para conquistar seja o que for.



A nomeação de Pedro Proença é por tudo isso naturalmente bem-vinda pelos portistas, não fosse inserir-se na velha táctica de ter um sócio do Benfica que, não sendo benfiquista e garantindo de antemão que jamais se engana a favor dos encarnados, garante vantagens num jogo de importância vital. Esperemos pois que ele desta vez desiluda os fãs e faça, para variar, uma boa arbitragem em que nenhum dos dois contendores possa vir a ter razões de queixa. Já se sabe que uma boa arbitragem para os portistas tem um significado diferente, mas isso apenas tem a ver com resultados menos favoráveis e a necessidade de se encontrarem bodes expiatórios.
 
 
 
aqui: http://www.anti-benfica.com/artigos-opiniao/pedro_proenca.php
 
 
 
 
 
 
 
 
 
  
 





Aqui: http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=EtT9xrB_pQM


simplesmente nojento e vergonhoso este juiz trapaceiro ...

por karlos