quinta-feira, 4 de agosto de 2011

as centopeias no futebol




                                                                                 


Roberto -


Nova novela? de verão ...




 Agosto de 2011



A insígne benfiquista Marta Rebelo deve estar a viver neste momento um misto de sentimentos; por um lado feliz por se ver livre de forma definitiva de um profissional que ela num excesso de desvario incompreensível (???!!!) apelidou de ‘Mancha Amarela – uma qualificação inaceitável para catalogar um profissional do Benfica, e por outro, imensamente triste por ter que arranjar outra vítima para descarregar as suas congénitas frustações. Sendo que outra das suas vítimas preferidas – César Peixoto também se prepara para fazer as malas, sobra apenas Óscar Cardozo. Logo o paraguaio que se cuide especialmente a partir de agora… Ah, e ainda temos Jorge Jesus para qualquer emergência...

Um dos que também irão ficar depauperados depois de se terem esgotado os ecos da especulação e da maledicência, será o pasquim que desde o primeiro momento pensou ter descoberto ali um filão inesgotável. Ainda hoje faz-se surpreendido com o rumo que as coisas levaram, e um dos adjuntos do director Pais – Nuno Farinha, devidamente retemperado do período de ócio estival, dedicou-lhe hoje o seu Bloco de notas.

Nada de novo nem de transcendente. Para além da surpresa, mais achas para alimentar o lume brando que foi ateado desde que o Benfica adquiriu Roberto pelos tais 8,5 Milhões e que tanta confusão fez a tanta gente, e que face ao imenso alarido público para usar uma expressão da opaca Comissão Disciplinar da Liga, mereceu de pronto a atenta investigação do M.P. sobre o seu contrato, sempre diligente quando se trata do Benfica ou dos seus dirigentes.

Como quem não quer a coisa, Farinha interroga-se sobre a capacidade creditícia do Saragoça e cita uma piada de baixo nível (afinal situada na mesma plataforma do pasquim). Indo de encontro ao que ele terá querido escrever, o negócio parece ter contornos estranhos, pelo que perante este alarido, não só o M.P português mas também o espanhol devem investigar quanto antes...

Falando a sério, diríamos que o negócio só é surpresa para quem se recusa a analisar a situação em todas as suas vertentes. Como várias vezes aqui o escrevemos e apesar de Marta Rebelo se recusar a acreditar nisso, Roberto tem potencialidades para vir a tornar-se um dos bons guarda-redes europeus. É novo, tem presença, é discreto, é forte psicologicamente (poucos aguentariam o que ele teve que suportar ao longo de uma época inteira), e está perfeitamente a tempo de ultrapassar as lacunas que concorreram para a sua não adaptação a uma equipa com o sistema de jogo do Benfica.

Mas não vamos ser ingénuos ao ponto de acreditar que o banzé à sua volta foi apenas pelas suas falhas durante a época. Foi-o essencialmente pela vontade conjugada de várias famílias a que se associou a minoria imberbe e ruidosa em promover suspeitas sobre um negócio de 8,5 milhões, tentando alcançar o seu verdadeiro alvo – Luis Filipe Vieira.

Pelos vistos voltamos a ter repetições em slow-motion agora no caso da venda. Seria exigir muito a um órgão de informação ou a qualquer opinador que antes de comentarem e publicarem textos que possam eventualmente dar azo ao levantamento de suspeitas, fossem prudentes e investigassem o assunto, caso este o justificasse? Pois, já sabemos que é a diferença entre jornais e pasquins e entre comentadores sérios e competentes e outros mortinhos por avançar para a especulação a que temos direito...

Com os dados que foram divulgados publicamente pelas partes interessadas, parece sem sombra de dúvida um bom negócio de cujo mérito (pelo inesperado) não pode ser dissociado o presidente encarnado, a quem desta vez (pelo menos que nos tenhamos apercebido) e ao contrário da sua ida a Madrid para fechar o negócio de Coentrão, não foram endereçadas críticas por na sua qualidade de vendedor se ter deslocado à antiga cidade romana de Caeser Augusta.

Finalmente, porque temos mais que fazer do que perder tempo com as costumeiras manifestações da treta e sobre os habituais e crónicos sintomas de azia que afectam alguns estômagos adum eternum, citamos o ‘nosso’ grande escritor Virgílio Ferreira : «Admiram-se às vezes certas pessoas de que um autor medíocre seja normalmente o triunfador do seu tempo. Mas o autor medíocre é que é admirado pelos medíocres. E a mediocridade é o que há de melhor distribuido pelos homens».


aqui:http://www.anti-benfica.com/


por karlos







Benfica ........Goalkeepers




 Julho de 2011




«Inesperadamente Quim revelou alguma insegurança entre os postes, mormente nos cantos e cruzamentos (…)» - Paulo Pinto - Jornalista de A Bola na análise aos jogadores no recente Gil Vicente-SC Braga.

Esta análise trouxe-nos à memória um conjunto de situações ocorridas nos últimos tempos com o desempenho dos titulares da baliza do Benfica, nomeadamente o massacre a que assistimos na última época com Roberto.

Regressando um pouco atrás, diríamos que foi com surpresa que temos assistido ao desmoronamento da tradicional escola de guarda-redes portugueses. Provavelmente fruto dos novos tempos em que é mais fácil comprar lá fora do que formar cá dentro, uma situação que alastra a todos os sectores da vida nacional e que tem propiciado um aumento galopante da nossa dívida externa. Só lamentamos é que a fobia de importações não tenha ainda contemplado políticos, porque talvez assim estivéssemos menos endividados e mais desenvolvidos...

Como aqui já escrevémos, Quim nunca foi um guarda-redes consensual no Benfica. E na última época que esteve ao serviço dos encarnados, do nosso ponto de vista só assumiu a titularidade porque no jogo da ‘Eusébio Cup’ teve o mérito e a felicidade de defender  4 penalties. A análise crítica que citamos acima coincide com aquilo que sempre vislumbrámos em Quim, muito embora consideremos tratar-se de um bom guarda-redes entre os postes e de ter tido um comportamento que não justificava que o anûncio público da sua não renovação tivesse acontecido como sucedeu.

O sistema de jogo implementado por Jorge Jesus na equipa do Benfica implica que o guarda-redes bastas vezes tenha que ser líbero. E para isso tem que ter muito treino e sobretudo características que se adaptem. E neste caso ou se têm ou não se tem. Em nosso entender Quim não as tem porque toda a sua fase de formação foi feita em equipas cujos compartimentos defensivos foram treinados para jogar dentro da área e não é na última fase da sua carreira que vai aprender. Isso não significa, repetimos, que ele não seja um bom guarda-redes dentro dos condicionalismos que apontámos.

Com Roberto passou-se algo semelhante. Para além de não ter a experiência de Quim, a sua carreira é ainda precoce e nos jogos que disputou fê-los em equipas com um certo pendor defensivo. É conhecida a sua performance no Saragoça da penúltima época em que foi considerado um dos melhores guarda-redes a actuar na Liga Espanhola. Terá sido isso que levou o Benfica a contratá-lo.

Tal como tinha acontecido ao seu antecessor, Roberto por força de um posicionamento a que não estava habituado demonstrou fragilidades idênticas, sendo que rapidamente foi mimoseado com a artilharia pesada dos media a que aderiram os adeptos que encaram os seus comentários e críticas como verdades imutáveis. A partir daí era fácil perceber que só muito dificilmente o ser humano Roberto conseguiria resistir. Mantemos o que repetidamente dissémos: Roberto tem potencial e enquadrado numa equipa em que não esteja sob pressão constante tem todas as condições, até pela sua idade, para se transformar num excelente guarda-redes.

A contratação de Artur Moraes foi tida assim como um facto normal. Tinha tido uma excelente época ao serviço dos bracarenses, era experiente, frio e demonstrava boa atitude nas saídas a cantos e cruzamentos. Os primeiros jogos, apesar de ter que se adaptar ao novo sistema, confirmaram em absoluto aquelas características. Tudo parecia caminhar bem  até que...

... o Benfica contratou Eduardo. De imediato, os habituais desestabilizadores propagandearam que se os encarnados tinham ido buscar o actual titular da selecção nacional e este tinha vindo, era porque lhe tinham prometido a titularidade. E isso constituia um factor de desestabilização tremenda para Artur. No 1º golo sofrido contra o Anderlecht os comissários de serviço do pasquim logo vieram dizer que isso era sinónimo que Artur sentia já o bafo de Eduardo. Veio o jogo com os turcos e Artur manteve a titularidade e teve uma actuação que contrariou aquelas aves agoirentas, assinando uma exibição irrepreensível e demonstrando uma frieza assinalável em toda a partida.

Não sabemos e muito menos prevemos o futuro. Tudo como se sabe pode acontecer: erros, baixas de forma, expulsões, ou até mesmo Eduardo demonstrar que está em melhor forma e assim assumir a titularidade. A acontecer, nessa altura, lá viriam os inefáveis Zandingas dizer que ‘tal como tínhamos previsto...’ .

Neste momento, Artur Moraes é titular com inteira justiça e assim deve continuar. Isso não retira qualquer parcela de mérito a Eduardo que terá certamente ensejo de demonstrar a oportunidade da sua contratação. Mas estarem a insistir no assunto é sinónimo que o seu objectivo é outro completamente diferente – desestabilizar a baliza dos encarnados.

E isso, como é evidente, será denunciado sem quaisquer titubiezas!





aqui:http://www.anti-benfica.com/artopiniao_benfica_goalkeepers.php





Nome completo Roberto Jiménez Data de nasc. 10 de Fevereiro de 1986 (25 anos) Local de nasc. Madrid,  Espanha Nacionalidade  Espanha Altura 1,93 m Peso 87 kg Pé destro Informações profissionais Clube atual Real Zaragoza Número 12 Posição Guarda-redes Clubes profissionais1 Anos Clubes Jogos (golos) 2005–20082005–2008
2007–2008
2008–2009
2009–
2010
2010–2011
2011- Espanha Atlético de Madrid B
Espanha Atlético de Madrid
Espanha Gimnàstic
Espanha Recreativo
Espanha Atlético de Madrid
Espanha Zaragoza
Portugal Sport Lisboa e Benfica
Espanha Zaragoza 40 (0)
01 (0)
28 (0)
00 (0)
03 (0)
15 (0)
25 (0)
0 (0) Seleção nacional3 2002–2003
2003
2004–2005
2005
2007–2008 Flag of Spain.svg Espanha sub-17
Flag of Spain.svg Espanha sub-18
Flag of Spain.svg Espanha sub-19
Flag of Spain.svg Espanha sub-20
Flag of Spain.svg Espanha sub-21 07 (0)
02 (0)
03 (0)
01 (0)
06 (0)

1 Partidas e gols pelo clube profissional
contam apenas partidas do campeonato nacional,
atualizados até 17 de Junho de 2011.

3 Partidas e gols da seleção nacional estão atualizados
até 15:00, 25 de Junho de 2010 (UTC






Matches of Roberto Jiménez Gago

Dia Data Competição  Equipe da casa Resultado/Hora Equipe Visitante Events
Sun 08/05/11 PRL Rio Ave 1 - 2 Benfica

Thu 05/05/11 UEL Sporting Braga 1 - 0 Benfica

Sun 01/05/11 PRL Olhanense 1 - 1 Benfica

Thu 28/04/11 UEL Benfica 2 - 1 Sporting Braga

Sat 23/04/11 LEC Benfica 2 - 1 Paços de Ferreira

Thu 14/04/11 UEL PSV 2 - 2 Benfica

Thu 07/04/11 UEL Benfica 4 - 1 PSV

Sun 03/04/11 PRL Benfica 1 - 2 Porto

Mon 21/03/11 PRL Paços de Ferreira 1 - 5 Benfica
Thu 17/03/11 UEL PSG 1 - 1 Benfica






Obs: obrigado  Roberto Jiménez e sejas muito feliz ,sempre

viva o Benficaaaaaaaaaaaaaaaa, sempre

por karlos